Sessões

Por Sónia Silva Ferreira
Estagiária

Sessão 16
O relógio continua a fazer tic-tac para o dia 22 e as encenações crescem a olhos vistos.
A cimentação do que já se criou e o limar das arestas continuam para o objecto artístico final.

Sessão 15
O trabalho enriquece sessão a sessão e o que no inicio era, transforma-se, renova-se. A familiarização com o texto vem a crescer assim como as acções que o corpo toma. O tempo encolhe e o trabalho estica.

Sessão 14
A passo e passo as “Três Irmãs” de Anton Tchecov transformam-se nas “Três Irmãs” de Gonçalo Fortes, Rita Jardim e Marta Lança. O trabalho vem-se a desenvolver de forma progressiva e positiva onde o trabalho cooperativo e criativo se reflecte em todo o processo. Continuação de bom trabalho!

Sessão 13
O desafio foi lançado e o início da criação do projecto final começou! O grupo é constituído por três alunos e cada um em diferentes momentos irá ser o encenador, actor, dramaturgo e tudo o que achar relevante para o seu objecto artístico, o que significa que teremos três apresentações finais.
A semente foi plantada e está a começar a crescer… já se vê o seu despontar. Veremos como se encontra daqui a uns dias…

Sessão 12
Apresentação dos trabalhos eleborados com material recolhido ao longo das sessões do zonas. Conversa sobre a evolução de cada um, o que melhoraram e o que ainda tem de melhorar para a nova fase que vai começar.

Com a bagagem que recolheram até à presente data, inicia-se uma nova apresentação, que será o ponto final no zonas 2.

A partir da peça “Três Irmãs” de Anton Tchekov, terão de montar uma dramaturgia para a concepção de uma apresentação final, em que cada um desempenhará um papel diferente em cada acto.

Tehching Hsieh

Sessão 11
Apresentação de uma resposta criativa às performances realizadas na sessão 9, onde uma nova visão, novas experiências e sentimentos foram partilhados.

Iniciamos uma nova tarefa. Com materiais que foram reunidos ao longo de várias sessões, foi lançado o desafio de criar um objecto artístico com a duração de 20 minutos para apresentar na próxima sessão.

Sessão 10
A palestra com o tema « O vazio das relações» começou às 20h, na rua da esperança. Nas duas horas seguintes, debateram-se visões bastante divergentes em relação ao assunto, na crença de existirem ou não, relações vazias! Questões foram lançadas: o que é o vazio? Porque é que esse vazio existe? Que tipo de relações tem as pessoas hoje? Porque é que as pessoas tem relações? … estas e tantas outras foram surgindo no decorrer do diálogo.

A tentativa para responder a cada uma das perguntas gerava controvérsias, bom humor, situações de introspecção e desconforto (positivo!), tanto nos performers como no público. Os oradores criaram momentos de dinâmica, cantaram, fizeram confissões, desafiaram o público a ter acções… que os envolveram de tal forma que partilharam segredos, dançaram, riram, sentiram, criaram.

Até à próxima palestra!

Sessão 9
1. Apresentação criativa do material recolhido da sessão anterior, intitulado: “Tudo o que vi, tudo o que senti, tudo o que imaginei – Viagem ao centro de mim”

2. Para além de Joana Craveiro e Rosinda Costa, a Tânia Guerreiro do colectivo do TdV foi a convidada que assistiu (e também orientou) as apresentações das dramaturgias que darão origem às palestras performativas intituladas “O vazio das relações”, a realizarem-se no próximo dia 15 de Fevereiro.

Comments are closed.